dezembro 2008


Acrescido o perfil do Roberto Pelegrini no menu Personagens.

 

Os Andrades.

106p

Para ler este episódio, clique aqui.

Para fazer o download desse episódio, clique aqui.

Vocês que nos acompanham sabem que, quando um novo episódio de Em Família é publicado, cada respectivo autor prepara um pequeno prelúdio, de forma a compartilhar um pouco do processo de criação e falar um pouco do foco o episódio. Mantendo a tradição, o sexto capítulo do nosso projeto, intitulado Epitáfio, conta mais uma parte da história da família Andrade após a perda de seu patriarca. E também a perda de sua imagem como patriarca. Todos estão tentando seguir em frente.

Nós também estamos tentando seguir em frente. Esta semana, nós também sofremos uma perda. Um dos nossos, o Fábio, autor do quarto capítulo, Antes que seja tarde, anunciou seu desligamento do projeto. Ele foi quem escreveu, o que na minha opinião, um dos melhores momentos cômicos – quem não se acabou de rir quando a Carol apresentou ao vivo na TV Pólis? – e um dos melhores finais de episódio – fui só eu que fiquei com o coração na mão quando vi que a Rebeca viu a porta do elevador se abrindo com o Guilherme lá dentro?

Fábio, sei que falo por todos quando digo que você foi muito importante para o Em Família. E para nós também. Tentaremos honrar sua saída o melhor possível. E lembre-se: se um dia, você estiver pronto novamente, a porta da casa dos Andrades vai sempre estar aberta para você. Sentiremos tua falta.

Filipe Freitas

Sneak Peek 2:

Carlos passara a noite na casa de sua mãe, com Carol e Júnior. No domingo, ao acordar, Júnior encontrou Carlos fazendo café e Carol tirando duas torradas queimadas da torradeira.

 

Júnior: Até as torradas, que nem é você quem faz, você queima.

 

Carol: Então não come. – Diz com um sorriso amarelo.

 

Carlos: Mal-humor matinal, cuidado.

 

Júnior: Cadê mamãe? – Diz bocejando. Carlos pega um pedaço de papel e entrega a Júnior, onde se lia “Bom dia! Precisei fazer compras. Fiquem longe da cozinha. Beijos, mamãe.” – Ela não foi fazer compras mesmo!

 

Carlos: Disso a gente sabe. Já tentei ligar pra ela, mas ela deve ter desligado.

 

Carol: Não acho que ela tenha ido falar com chacrete.

 

Carlos e Júnior: Chacrete?!

 

Carol: Eu não contei pra vocês? Eu fiz umas pesquisas e descobri que a Vera era chacrete!

 

 

Sneak Peek 3:

Sara e Carol pegaram seus almoços e procuraram uma sala vazia para conversarem com mais privacidade. Acabam percebendo que era a antiga sala de seu pai. Alguns dos pertences dele ainda estavam na sala, outros em caixas. A cadeira dele estava num dos cantos.

 

Carol: Nossa, faz muito tempo que não venho aqui. – Carol se senta na cadeira do pai e começa à girá-la. – Eu adorava essa cadeira.

 

Sara: Dá dor nas costas. – Diz emburrada. – Vamos mudar de assunto? Como anda o trabalho?

 

Carol: Trabalho? Ah, eu vou cobrir as eleições. Vou fazer entrevistas com os candidatos, pesquisas de intenção, essas coisas… Já sabe em que candidato vai votar? – Pergunta rindo.

 

Sara: Em mim! – As duas riem. – Já entrevistou alguém?

 

Carol: Por enquanto é só pesquisa. Mas semana que vem eu vou entrevistar o Roberto Pellegrini.

 

Sara: Uh, o candidato bonitão. Pergunta se ele usa botox! Tenho certeza que usa!

 

Carol: Nossa! Não posso me esquecer disso! – Ri.

 

Sara: Falando em bonitões…

 

Carol: Sem bonitões. Muda de assunto.

Sinopse: A família Andrade luta para superar a traição de Guilherme, quatro meses após sua morte. Carol retorna ao Rio para cobrir as eleições municipais, Tomás e Vitória tem novidades da gravidez e Sara faz uma descoberta.

 

 

Sneak Peek 1:

 Júnior estava andando à toa pelo Jardim. Os bancos estavam molhados pois chovera à pouco, mas sentou-se mesmo assim. Depois de um tempo, pega seu telefone e liga para Rebeca.

 

Rebeca: Júnior, eu tô em aula. Te ligo mais tarde. – Sussurra.

 

Júnior: Não, não, não! Não desliga! Eu… é…

 

Rebeca: O que é?

 

Júnior: Vai ter um evento na livraria! Na livraria do meu pai… e… eu queria saber se você não gostaria de… sei lá… aparecer por lá?

 

Rebeca: Júnior…

 

Júnior: Não aceito não como resposta! E vai ser legal. Não vai ter problema nenhum.

 

Rebeca: Tem certeza?

 

Júnior: Tenho.

 

Júnior ouve risadas e vozes afobadas no celular.

 

 

Rebeca: É meu professor! Eu vou, então! Tchau! – E desliga.

 

Os Andrades

105p

Para ler esse episódio, clique aqui.

Para baixar o arquivo em .pdf, clique aqui.

 

Bom, eu peguei o episódio dramático. Houve uma certa dúvida entre a gente sobre deixar suspense ou não na questão do Guilherme. Preferimos deixar claro logo de cara que ele veio a falecer. O episódio aborda muitos outros assuntos, e preferimos não gastar tanto tempo nesse suspense.

Foi bastante complicado, para mim, escrever esse episódio, pois nunca perdi ninguém próximo e, portanto, não posso usar isso para escrever as cenas do dia após a morte. Mas fiz o meu melhor e espero que esteja realístico o suficiente. Também foi complicado pois como se passam duas semanas dentro do episódio, os sentimentos em relação à morte são diferentes. Também por tratar de assuntos delicados, como o possível quase-incesto entre Júnior e Rebeca e a traição de Guilherme.

Para começar, temos Nora. Em um primeiro momento, ela está arrasada com a morte do marido, não tendo lhe ocorrido ainda quanto sua ausência afetaria sua vida. Ela recebe o apoio de todos, inclusive de sua mãe, Diva. Apesar dela aparecer pouco nesse episódio, gosto muito de sua participação e adorei escrever a cena entre as duas. Com a rivalidade habitual, porém compreensão da dor da outra e respeito.

Em um segundo momento, Nora continua sendo a que sofre mais a perda do patriarca dos Andrades. Os 5 filhos parecem ter se acostumado com a situação, mas ela não. Está cabisbaixa, até que descobre a traição e entra em profunda depressão. Com sua mágoa misturada com ódio e amor pelo marido, agora morto.

Do outro lado, temos Vera. Eu diria que esse episódio fecha um ciclo de Em Família, e é a partir desse episódio que a Vera ganha mais importância. Ela sofre igualmente a morte de Guilherme, quem muito amava, porém não pode fazer isso abertamente. Vai ao seu enterro apenas como amiga.

Além da Vera triste pela morte de seu amante, há também a Vera desolada pelo abandono da filha, que descobre do caso da mãe com Guilherme e de sua possível paternidade. Eu especialmente adoro a cena da briga entre Vera e Rebeca. Foi a primeira que escrevi para o episódio. Acho bem intensa.

Rebeca está um tanto quanto confusa nesse episódio. E não haveria como não estar. Aliás, não há como falar da história dela nesse episódio e esquecer a de Júnior. Ele descobre do affaire do pai com a mãe da ‘namorada’. Conta para ela, que sai desnorteada e acaba brigando com a mãe e saindo de casa. Ele, abalado, se volta para a bebida e as drogas, como faz nessas situações. Posteriormente, os dois combinam recomeçar seu relacionamento como irmãos. Tarefa difícil, que promete várias tensões.

Eu particularmente gosto da briga entre Júnior e Saulo, que também se mostra mais presente nesse episódio. Ele, além de Guilherme, era o único que sabia do caso, e também o único que ama as duas mulheres. Há o Saulo preocupado com a irmã, que obviamente o rejeita, após saber que ele tinha conhecimento de tudo, e o Saulo preocupado com Vera. Ah, e apesar de tudo isso, ele ganha um presente singelo: a presidência temporária da Andanças.

Quanto aos outros quatro irmãos, estão também envolvidos na morte do pai. Porém são também a válvula de escape do episódio, pois tem seus próprios problemas para se preocupar.

Carlos sofre durante o funeral, pois sente que apesar de ter feito as pazes com o pai, não foi o suficiente e faz o discurso em homenagem ao seu maior exemplo. Depois de certo tempo, ele faz uma proposta para o advogado de Camilo, mas não há nada demais nesse aspecto, apenas a preparação de terreno para os próximos episódios. Ele também une a família em torno da procura pelo testamento do pai e de documentos para a carta de adjudicação, documento necessário para divisão de herança sem testamento.

Carol sofre a morte do pai por uma perspectiva diferente, pois não pôde estar com ele em suas últimas horas, porque ela estava em um ônibus. Se ela tivesse ido de avião, provavelmente teria falado com ele antes de partir. Ela e Carlos procuram pela herança pela casa e acabam achando a carta de Vera e a lendo.

Sara, além de sentir a ausência do pai, sofre também pelo aborto espontâneo que realizou, porém não teve tempo de penar por causa de sua vida agitada e estressada. Há também a rebeldia misturada com tristeza de Gabriel e o apoio de Fernando, que entende a dor da mulher. As melhores cenas em seu núcleo para mim foram as com Gabs, que demonstra grande intimidade com a mãe. Também adoro a cena dos gêmeos perguntando do avô para Ferdi e Vitória. Acho muito fofo e bacana.

Vitória, após o acontecido na cena citada, acaba criando dúvidas sobre sua habilidade como mãe. Tomás a tranqüiliza, dizendo que ela é a mãe que ele quer para seu filho. Amo essa cena também. O núcleo do Tomás fica por aqui, nesse episódio. Gosto, porém que ele percebe que há algo de errado no casamento de Sara. O que demonstra que suas brigas com Fernando, cada vez mais freqüentes estão chegando a outros pontos da família.

Então é isso. Tarde Demais é um episódio importante, de transição. Como será a vida dos Andrades sem Guilherme, como será essa adaptação? Só lendo os novos episódios…

Ah, encontro com vocês novamente no 1×09. É pouco tempo. Até!


Rodrigo Andrade


————————————————————–

P.S.: Tivemos um pequeno problema com o site no qual disponibilizamos a trilha sonora. Por isso, nesse episódio, haverá apenas a lista de músicas no fim do episódio. Desculpa pelo incoveniente e, assim que o site voltar ao normal, colocaremos a trilha sonora aqui.

Sneak Peek 2:

Carlos e Carol procuram no escritório do pai algum documento que possa ajudar no processo da carta de adjudicação, ou até mesmo um testamento escondido. Júnior tinha ido atender o telefone. 

Carol: Não imaginava que o papai fosse organizado assim. – Diz enquanto mexe em uma gaveta. 

Carlos: Pensou que fosse desordenado que nem você? 

Carol: Nossa. Você tá hilário hoje. 

Carlos: Olha, tem uma carta aqui no meio das contas da Andanças. 

Carol: Carta? Pra quem? 

Carlos: Vera Santos. – Lê no envelope. – Acho que ele nunca mandou. 

Carol: Vera Santos… Eu conheço esse nome. 

Carlos: É aquela mulher, cliente do papai. O Tomás a apresentou no enterro. 

Carol: É verdade! – Pausa – E então? Você vai guardar para entregar? 

Carlos: O que você acha? – Ele para por um instante. – Lógico que não! A gente vai abrir e ler a carta, da maneira Andrade. 

Carol: Ufa! Você não me decepciona. Acho que o que falam dos advogados e dos jornalistas é verdade, então. 

Carlos: Quem sabe? – Começa a ler carta para si mesmo. 

 

Sneak Peek 3:

Saulo volta para a cozinha após ter ido lavar o rosto e a nuca no banheiro e ter dado uma espairecida. 

Nora: O que o Júnior queria? 

Saulo: Nada demais. 

Nora: Como nada demais? Ele estava tendo um filho quase! 

Saulo: Ele queria me perguntar algumas coisas… Vamos mudar de assunto? 

Nora: Tudo bem. Acho que a gente deveria comer. Cadê ele, Saulo? E o Carlos e a Carol também. 

Saulo: Ele saiu. Os outros dois devem estar no escritório. Quer que eu vá chamar? – Já se levantando. 

Nora: Como assim saiu? Por quê? 

Saulo: Disse que tinha se lembrado de um compromisso importante e que comia na rua. Eu vou chamar o Carlos e a Carol. 

Nora: Compromisso importante? Que compromisso é esse? 

A campainha toca. 

Nora: Quem será? – Vai até a porta e lá encontra Sara, Tomás, Carol e Carlos, que já tinham aberto a porta para os outros dois irmãos. – Olha que bom! Vocês voltaram! Vão lanchar aqui? 

Nora anda em direção à cozinha enquanto fala, e os filhos a seguem. 

Carlos: Mãe, eles não vieram comer. 

Nora: Não? – Ela pára e se vira para ver a expressão séria dos filhos. 

Sara: Não. A gente veio pra ter uma conversa séria com a senhora. 

 

Os Andrades

Sinopse: A família Andrade está comovida pela morte de seu patriarca. Segredos antigos serão desenterrados no processo de superação. E alguns laços serão quebrados.

 

 

Sneak Peek 1:

Fernando está sentado com os gêmeos de um lado e Gabriel do outro. O garoto de cabeça abaixada e abraçado com o pai. Vitória está sentada do outro lado dos gêmeos, os distraindo. 

Rafaela: Tia Vitória! 

Vitória: Fala, meu amor. 

Rafaela: Quando que o vovô volta? 

Eduardo: Ele vai demorar muito? 

Vitória fica um tempo sem reagir. Fernando percebe o teor da conversa e interfere. 

Fernando: Olha, crianças… Pode ser que demore bastante até que vocês vejam o vô Guilherme de novo. 

Eduardo: Por quê? Ele não gosta mais da gente? 

Rafaela: Onde que ele tá? 

Vitória: Não, não! O avô de vocês gosta muito de vocês ainda! Como que ele não ia gostar? 

Fernando: É, ele, sua mãe, eu, a tia Vitória, o tio Tomás, sua avó, todos os seus tios nunca vão deixar de gostar de vocês. – Afaga o cabelo do Dudu e dá um beijo na bochecha da Rafaela. – Eu não sei onde o vô Guilherme tá agora. Mas não importa onde ele esteja, ele tá muito feliz, viu? 

Gabriel: Não tá não! Ele tá morto! Não tá sentindo nada! – Gabriel se levanta e sai com passos firmes. 

Fernando demonstra que vai atrás dele, mas Vitória o impede. 

Vitória: Deixa ele. É melhor assim. Ele precisa desse momento. 

 

Os Andrades