maio 2009


119_2p

Para ler o episódio, clique aqui.

Para baixar o .pdf, clique aqui.

Final de temporada. É quase como o final de um ano escolar, ou um semestre na faculdade. Final de um ciclo. Histórias que começaram lá no primeiro episódio, chegam à sua conclusão. Amores encerrados, amores encontrados, redescobertas, surpresas, decepções, alegrias, tristezas, conquistas, perdas. Tudo parte de um ciclo, tudo parte da vida.

A família Andrade passou por essas e muitas outras situações, mas sempre conseguiram enfrentar os problemas da única forma que sabiam, juntos. Dizem que na hora do aperto é que a família se une, e assim foi com os Andrades. Apesar das diferenças, das discussões, das rusgas entre os irmãos, eles sempre se apoiaram. E chegaram no final juntos, mais fortes e até mais unidos.

Mas eles precisam enfrentar mais um segredo, esse guardado por mais de vinte anos. E conhecendo essa família, que é cheia de segredos, mas não consegue manter nenhum deve estar agora curioso para saber do que se trata. Garanto que vai ser surpreendente. Inesperado até.

Não vamos nos alongar demais. Apesar de toda a correria e pressão o episódio saiu como nós imaginamos lá na primeira reunião. Foi um desafio encerrar a temporada, mas muito divertido. E assim como o primeiro ciclo da família Andrade se encerra com esse episódio, o nosso primeiro ciclo se encerra hoje. Agora é planejar a próxima temporada. Agradecemos, em nome de todos os Andrades, os comentários, as críticas e sugestões. Esperamos nos encontrar na próxima temporada. E fique sempre de olho, que sempre teremos algumas surpresas até a volta.

Edízio e Polly Andrade

Anúncios

Sinopse: A primeira temporada chega ao fim. Carlos e Sérgio tem uma conversa definitiva. Rebeca começa a entender as atitudes da mãe. Saulo e Vera dão um importante passo em suas vidas e Júnior decide contar a verdade para Vitória. Só não esperava ouvir outra verdade em troca…

Júnior olhava a foto de sua família que tinha levado para a reabilitação e a guarda após alguns segundos. Era o dia de seu retorno ao mundo real. Aquilo ainda o assustava um pouco, mas não mais que a hora de contar a Tomás e Vitória que era cúmplice do acidente. Ele fecha o zíper da mala, quando alguém bate em sua porta.

Dolores: Júnior?

Júnior: Oi.

Dolores: E então? Pronto pra ir?

Júnior respira fundo.

Júnior: Pronto!

Dolores: Que bom! Aqui estão o endereço e o telefone do diretor da APAE perto da sua casa. São crianças muito queridas. Você vai gostar, tenho certeza!

Júnior: Eu sei.

Dolores: Bom, o táxi deve chegar há qualquer momento. Você pode esperar no jardim se quiser.

Júnior: Não, não. Prefiro ficar aqui.

Dolores: Tudo bem. Júnior, você agora vai cuidar de sua reabilitação sozinho. Lembre-se que mais que um exemplo de vitória, você tem que ser um exemplo para as crianças com as quais vai lidar. E também…

********************************************


Nora estava cozinhando, quando Júnior surge atrás dela, tapando-lhe os olhos. Nora conhecia o cheiro e o toque de todos os seus filhos de longe e se emocionou ao perceber que era Júnior voltando de vez da clínica. Ela se desvencilha das mãos do filho caçula e o abraça.

Nora: Meu querido!

Júnior: Mãe… que saudade!

Os dois terminam o longo abraço, emocionados.

Nora: Por que você não disse que estava vindo? Esse é mais um período em casa que você tem direito?

Júnior: Na verdade, não. É o período em que eu volto pro mundo real, para minha nova realidade.

Nora se emociona ao saber que terá a companhia do filho de novo.

Nora: Meus parabéns, querido. Tome. – Nora dá um pedaço de uma torta que havia preparado.

Júnior: Que saudade disso!

Júnior e Nora ficam conversando na cozinha.

*************************************************

Nora chagava com os gêmeos e pedia que o porteiro avisasse que ela estava subindo, para abrir a porta para eles. Gabriel que também chegava em casa, encontrou com a avó e os irmãos.

Gabriel: Seu Francisco, pode deixar, eu tenho a chave. – ele abraça a avó – pensei que meu pai já tinha levado os dois.

Nora: Ele deve está esperando, o carro dele está do lado de fora. Mas eu me atrasei, e ainda peguei um transito horrível no caminho.

Eduardo: A vovó Nora gritou com outro motorista.

Rafaela: E falou uma coisa feia.

Os dois deram risadas. Gabriel também achou graça, imaginando a avó xingando no transito.

Nora: E o que eu falei para os dois, para não contarem nada pra ninguém. Até comprei o pacote de balas.

Eduardo: Você só pediu pra não contar pra mamãe.

Rafaela: Não falou nada do Gabs.

Gabriel: Se eu ganhar um pouco dessas balas, também não conto nada. – ele brincou com a avó.

Nora: Vocês três ainda acabam comigo.

Demorou, mas foi! Sérgio já tinha até sido capa de episódio (1.18: Medida do Sofrimento), mas ainda não estava no menu de personagens. Agora está. =)

Para visualizar seu perfil, clique aqui.

Os Andrades

119_1p

Para ler o episódio, clique aqui.

Para baixar o pdf., clique aqui.

Final de temporada. Como chegou rápido!

Parece que foi outro dia que foi lançada a idéia de escrever uma história inspirada em Brothers & Sisters. A princípio éramos oito, mas ficamos em cinco. Número dos irmãos Andrades. Número dos irmãos Walkers, que nos inspiraram. Por coincidência duas irmãs e três irmãos.

9 de agosto de 2009 – MSN

Sam diz:

Então podemos começar a reunião?

Polly diz:

Fala chefe. Qual o primeiro tópico?

Ed diz:

Sam já virou chefe da equipe?

Rod diz:

Ela é a mais organizada.

Lipe diz:

Vamos logo que preciso sair.

Rod diz:

Mas você acabou de chegar!!!

Ed diz:

Vocês viram como a Rebecca estava linda no final da segunda temporada? Justin sortudo.

Polly diz:

Ai, odiei a idéia da Rebecca não ser uma Walker.

Lipe diz:

O que? Eu odeio a Rebeca, mas ela não é uma Walker?

Polly diz:

Você não sabia? Oooops. Sorry!

Sam diz:

Gente, foco. Vamos logo que meu irmão já está querendo usar o computador.

Rod diz:

Ah, fala pro seu irmão fazer outra coisa.

Sam diz:

Como se adiantasse. Mas vamos ao que interessa. Vamos dividir primeiro quem fica responsável por cada personagem.

Ed diz:

Eu quero o Tomás e a Vitória. Já tenho até história pra ele.

Sam diz:

Eu quero a Sara e a família dela.

Polly diz:

Eu quero o Júnior!

Rod diz:

Eu fico com a Vera e a Rebeca.

Lipe diz:

Eu fico com o Carlos.

Sam diz:

E quem fica com a Nora?

Ed diz:

Eu acho que você devia ficar com a Nora, Polly!!

20 de maio de 2009

Lembrança: Impressão, idéia de uma coisa, de uma pessoa ou de um fato, que a memória conserva; recordação; reminiscência.

Nessa primeira parte, os Andrades relembram um pouco da sua história. Momentos marcantes que de alguma forma impactaram suas vidas e fizeram deles as pessoas que são agora. Um trauma, um sonho, uma chance desperdiçada. Um episódio diferente do que você está acostumado, mas uma maneira especial de conhecer um pouco mais dessa família.

09 de agosto de 2008 – MSN

Polly diz:

Então quantos episódios na 1ª temporada?

Rod diz:

22, igual uma série normal.

Sam diz:

Não! 15 episódios. Mais que 20 é muito.

Lipe diz:

19 então. Rssssss

Polly diz:

Mas nossa season finale vai ser episódio duplo!

Sam diz:

Como assim duplo?

Polly diz:

Com o dobro de páginas!! E já aviso que quero escrever pelo menos uma parte do episódio.

Ed diz:

Eu também. Vamos escrever em dupla Pollyzinha.

Polly diz:

Boa!! O episódio final é nosso então!!!

Sam diz:

Então vamos dividir quem fica responsável por qual episódio.

31 de outubro de 2008 – MSN

Sam diz:

Rod, já tá tudo pronto pra postar o episódio?

Rod diz:

Sim… tudo certo.

Lipe diz:

Cadê o link pra download?

Sam diz:

Precisa do Lipe me mandar o PDF.

Polly diz:

Nossa que confusão!!

Ed diz:

Por que não arrumou tudo isso mais cedo caçula?

Rod diz:

Por que só eu organizo esse blog? Todo mundo pode fazer.

Polly diz:

Eu nem tento, não entendo dessas novas tecnologias.

Sam diz:

Já mandei o link pro e-mail Rod, olha lá.

Rod diz:

Ok, um minutinho. Vou postar o primeiro episódio.

Ed diz:

Nossa que ansiedade. Será que alguém vai ler?

Lipe diz:

Claro! Já estou pensando na produção do Em Família pra televisão.

Sam diz:

Vamos com calma gente!

Polly diz:

Ah isso é digno, no mínimo, de um Emmy!

Ed diz:

Você quer dizer Troféu Imprensa né? Estamos no Brasil.

Rod diz:

Episódio no ar. Um brinde irmãos!

Lipe diz:

Tin-tin. Mr Photographer!!!

Polly diz:

Tin-tin [2]

Sam diz:

Será que vamos ter algum comentário amanhã?

Rod diz:

Tin-tin [3]

Sam diz:

E o quinto episódio quando fica pronto? Já tá atrasado.

Ed diz:

Deixa de ser chata! rsss Vamos comemorar!

Sam diz:

Já acostumei, tudo é culpa minha mesmo rsssss

20 de maio de 2009

As mais sensatas loucuras, são as mais puras alegrias. Tudo que fizemos, deixaremos de recordação para aqueles que um dia pensam em ser como nós. Talvez loucos..porém felizes! Autor Desconhecido

O que parecia loucura, se tornou realidade. E esse quase um ano do Em Família foi cheio de surpresas, algumas tristezas e muitas alegrias para nós autores. É sempre bom recordar, repensar e tentar melhorar. E essa é a tônica desse episódio. Recordar pessoas, momentos, situações. Avaliar atitudes para encarar o futuro. E sabem como é, o passado nem sempre está morto e enterrado!

Sinopse: Os Andrades relembram seu passado e analisam seu presente.

Sneak 1:

Nora preparava o almoço e olhava os filhos se divertindo na piscina. Ela e Guilherme sempre quiseram um canto para passar os feriados com a família, longe do Rio. E aquele era o primeiro carnaval naquela casa.

Sara: Carlos e Carol, para de espirrar água em mim, não vê que estou tomando sol?

Carol: Ai, por favor. Só vai ficar mais vermelha.

Carlos: É uma chata mesmo!

Tomás: Carol, Carlos. Vamos jogar vôlei.

Carlos: Eu sou o Renan, posso?!

Tomás: Claro, eu sou o Bernard.

Carol: Eu, a Vera Mossa!

Sara: Isso mesmo, vão lá brincar e me deixem aqui.

Nora dava risada das idéias das crianças. Ela estava mito feliz. Júnior, com quatro anos recém completados veio correndo de dentro de casa, com as bóias no braço e pulou na piscina, molhando Sara quase que completamente.

Tomás, Carlos e Carol davam muitas risadas da irmã.

Sara: JÚNIOR!!!!!

Júnior: Sá, vem brincar comigo.

Sara: Você me molhou toda!!

Guilherme foi para junto de Nora e olhava o sorriso no rosto dela.

Guilherme: O que passa nessa cabecinha?

Nora: Nada demais. Comprar esse terreno e construir a casa foi a melhor coisa que a gente fez, não acha?

Guilherme: Sim, tem razão. As crianças estão crescendo. Daqui uns anos vêm os netos.

Nora: Espero que não tão cedo! Sara ainda nem terminou o segundo grau, e Júnior tem só quatro anos.

Guilherme: O tempo passa rápido minha querida. Sara vai fazer 17 anos em uma semana.

Nora não teve tempo de falar, o telefone tocou e Guilherme foi atender.

Sneak 2:

Vitória: Quando a gente se casou, você imaginava como seria o nosso futuro?

Tomás: Sim.

Vitória: E como era?

Tomás: Bom, por um tempo eu pensei que o Lucas iria invadir nossa casa, te seqüestrar e te levar de mim. Daí, é claro, eu teria que arranjar um arsenal e partir atrás de você… – Eles riem. – Mas depois eu percebi que ele não seria louco de enfrentar o grande Tomás Andrade.

Vitória: Sério, Tomás!

Tomás: Lógico que imaginava. Acho que eu me baseei nos meus pais pra imaginar meu futuro, sabe? Lógico que não cinco filhos. Nunca iria pedir algo assim para você. Mas quem sabe uns dois, três… Acho que ter irmãos é uma coisa fundamental. A gente moraria numa casa, não necessariamente muito grande, mas com um quintal legal… Enfim, essas coisas.

Vitória: E por que você nunca me contou essas coisas? – Ela diz com os olhos brilhando.

Tomás: Porque você nunca perguntou. – Eles se beijam e ficam um tempo em silêncio, sorrindo um para o outro. Tomás checa o relógio – Já deu o tempo! Corre lá, Vi!

Vitória corre até o banheiro, onde estava o teste de gravidez. Tomás a espera na cama. Ela volta devagar com um sorriso se orelha a orelha.

Vitória: A gente vai ter um filho! – Tomás corre até a esposa, a abraça e beija e os dois saem para comemorar.

Sneak 3:

Júnior estava sentado a uma mesa com alguns amigos, bebendo e conversando. Alguns fumavam. Depois de algumas doses, um outro jovem sentou-se ao lado de Júnior. Ele estava agitado.

Betão: Opa! Sou o Betão. Você é o Júnior, né?

Júnior: Isso aí! Como você sabe?

Betão: Eu sou amigo de um amigo do Renato. E ele já falou da banda e quem era quem e tal. Eu sou bom de memória, sabe?

Júnior: Hmm. – Fez ele, achando graça de tudo aquilo. – E aí, Betão, qual é a tua?

Betão: Tô fissurado, cara!

Júnior: Ah é? Em quem? – Betão ri alto.

Betão: Você é engraçado, né? Tô fissurado em mulher nenhuma não, cara! Bom, não agora. – Ele ri e mostra um vidrinho. – É a anfetamina, cara!

118p

Para ler o episódio, clique aqui.

Para baixar o .pdf, clique aqui.

É ritmo, é ritmo de… despedida.

O penúltimo episódio do Em Família chegou. “A Medida do Sofrimento” trará respostas para as dúvidas que pairavam sobre os Andrades – e nas de vocês também!

Os efeitos da desastrosa ceia natalina começam a se espalhar sem poupar ninguém. Nora e Saulo terão que lidar, agora, com sua mãe, que sabe de todos os seus problemas. Sara sente-se desiludida com sua vida pessoal e profissional. Tomás e Vitória vêm um vislumbre de justiça enquanto Júnior depara-se com o caminho que poderia ter sido seu, mas não foi. Aliás, grandes problemas aguardam o caçula. Carlos se corrói com a culpa pelos seus atos. Vera também se arrepende de sua impulsividade.

Enfim, esse episódio é uma prova do que está por vir nas próximas semanas. O fim chegou em sua metade. Não percam!!!

Filipe Andrade

Ok, muitas coisas.

Antes de colocar a sinopse e as três sneaks (não coloquei ontem. perdão.), queria fazer algumas considerações:

Também por minha culpa, o perfil do Sérgio ainda não foi adicionado à parte de Personagens. Será adicionado em breve, junto com o episódio 1.18.

Outra coisa, o episódio 1.17 já estava previsto para ser postado no dia 30/04, como está na página da Primeira Temporada, mas desculpa por não ter avisado aqui, como normalmente fazemos nos hiatus.

Além disso, o episódio 1.19 será dividido em dois. A primeira parte será postada em 20/05 e a segunda em 30/05.

Isso é tudo, chega de blablablá e vamos ao que interessa:

Sinopse: Mais segredos são revelados quando Tomás e Vitória recebem notícias da investigação do acidente. Diva dá um ultimato ao filho, estremecendo a relação entre Saulo e Nora. Sara desenvolve uma idéia e Pâmela dá o bote.

Sneak 1:

Diva: Eu não acredito que você está com… com… aquela mulher!

Saulo e Diva estavam discutindo a respeito de Vera. Diva estava juntando suas roupas numa mala pequena.

Saulo: Mãe, eu acho que isso não é da sua conta – diz, guardando as roupas dela no armário.

Diva: Como assim não é da minha conta?! – Saulo não responde.– Você não é mais um adolescente que…

Saulo: Então porque está me tratando como um?

Diva: Você acha que é só isso, então? Que eu apenas não “gostei” da sua namorada!

Saulo: E o que mais pode ser?

Sneak 2:

Nora: O que está acontecendo ali?

Sara: Você não sabe?

Carlos: É o velório.

Tomás: As duas estão lá, mãe. Decida.

Carol: Nós estamos com você.

Júnior, então, aparece andando junto com eles, mas a frente de Nora.

Júnior: Mãe…

Nora acelerou, fechando os olhos com força. Ela olhou para trás. Não havia mais ninguém. Finalmente, ela chega até a multidão.

Sneak 3:

Carlos levava Sérgio para o restaurante.

Sérgio: Hoje eu vou participar da reunião criativa! Eu só vou assistir, mas… É um grande passo, né?

Carlos: Verdade. Já contou para os seus pais?

Sérgio: O que você acha?! É claro que eu contei! Eles querem jantar com a gente de novo.

Carlos: É uma boa idéia.

Eles chegam ao restaurante e Carlos estaciona o carro. Sérgio começa a pegar suas coisas e inclina-se para beijar Carlos, que desvia.

Carlos: Ah, desculpa.

Os dois então se beijam.

Sérgio: Carlos…

Carlos: Vamos, vamos, não se atrase.

Sérgio olha triste para Carlos, que evita olhar para ele. Sérgio sai do carro.