março 2010


SNEAK PEAK 2

O telefone estava tocando. Vitória começa a despertar. Ela olha para o relógio, que mostrava sete horas da manhã.

Vitória: Tomás, atende o telefone? – Ninguém responde. – Tomás? Tomás?

Vitória abre os olhos e encontra a cama vazia. Sob o travesseiro, havia um anote-e-cole que dizia “Fui à Andanças. T.” O telefone continuava a tocar. Ela então devolve o papel para o travesseiro e atende o telefone, ainda sonolenta.

Vitória: Alô. (…) É ela, sim. Com quem eu falo? (…) Hospital? – Vitória leva a mão ao peito.

SNEAK PEAK 3

Vera estava trabalhando, revisando uns contratos, quando começam a bater violentamente em sua porta.

Rebeca: Mãe?!

Vera: Rebeca! – ela corre até a porta e ao abrir, a filha entra. – Aconteceu alguma coisa? – pergunta preocupada.

Rebeca: Aconteceu sim. Um almoço! Entre nós duas ontem! Pena que eu não fiquei sabendo.

Vera fica sem reação.

Rebeca: Por que você mentiu para tio Saulo?

Vera: Rebeca…

Rebeca: Por quê?! – grita.

Sinopse: Sara resolve apresentar Marcelo aos filhos, Tomás lida à sua maneira com a questão da adoção, e Carlos descobre um lado oculto da vida de Diego.

SNEAK PEAK 1

Carlos: Lado dele? Eu tenho que ver o meu lado, o meu!

O telefone de Carlos começa a tocar. Ele e Pâmela disparam para ver quem alcança o telefone primeiro. Pâmela vence.

Carlos: Me dá o telefone, Pâmela.

Pâmela: Nada disso. Você não vai falar com ele desse jeito.

Carlos: Me dá o telefone!

Pâmela: Não! Levo ele pra minha casa. Jogo na privada! Pela janela, se for preciso. Mas você não vai falar com ele nesse estado.

Carlos se rende.

Para ler o episódio, clique aqui.

Para baixar o .pdf, clique aqui.

Ao escrevemos, mesmo sem percebemos e inevitavelmente, acabamos colocando um pouco de nós nos personagens. Uns mais, outros menos, mas cada membro da família Andrade e seus agregados têm um quê de cada um de seus criadores. Nós (Samara e Rodrigo) nos identificamos mais com Sara e Carlos, respectivamente. Por isso e por nossa evidente sintonia, mesmo antes de sermos designados a escrever esse episódio em dupla, já comentávamos de fazermos uma cena “interpretando” esses personagens, num esquema de total improviso. E assim foi feito. Em outras cenas, com outros personagens, também nos aventuramos na improvisação e acreditamos que assim as cenas ficaram com uma boa dinâmica. Esperamos que gostem.

Mas falando dos Andrades reais (ou fictícios) por excelência, nesse episódio, intitulado de A Estrada, cada um vai seguindo seu caminho, andando pelas alamedas das suas escolhas, com os obstáculos e venturas que a estrada da vida os reservam. Indo em frente, porque não há melhor direção.

Boa leitura!

Rodrigo e Samara Andrade

Sneak 2

Carlos e Diego haviam acabado de jantar e agora Carlos assistia a uma matéria sobre o terremoto no Haiti. Diego chega com dois copos de vinho. Dá  um para Carlos e se senta ao lado do outro.

Carlos: Que tragédia horrível, né?

Diego: Terrível. Minha vontade, como médico e como ser humano também, é pegar o primeiro vôo para lá e ajudar de alguma forma.

Carlos: Nem em sonho. Não sou louco de te deixar ir para o meio dessa loucura. Vai que acontece alguma coisa com você… – Depois de dizer o que disse, ele percebe o que isso significa. Fica preocupado, mas Diego sorri.

Diego: Sabe o que eu acho? – Carlos faz que não. – Que a gente deveria parar de pensar em tragédia. – Ele se inclina por cima de Carlos para pegar o controle remoto.

O médico desliga a TV. Eles se beijam e o beijo se intensifica. Eles apóiam os copos em cima da mesa, mas um deles acaba caindo e quebrando no chão.

Carlos: Ops, foi mal. Meu amor é devastador, destrói tudo ao redor. – Ele ri da piadinha sem graça. Carlos se levanta e pega os cacos de vidro. Diego sorria.  – Onde você tem um pano de chão?

Diego: Carlos, você quer namorar comigo?

Sneak 3

Carlos interrompe o beijo que dava em Diego e atende o celular meio a contragosto.

Nora: Oi, querido.

Carlos: Diga, mãe.

Carol estava saindo do banho, pelo menos no banheiro ela não tinha que ficar na presença incômoda de Renata, quando ouve o seu celular tocando.

Carol: Alô.

Tomás: Oi, Carol. Tudo bem?

Rebeca olhava algumas fotos que tinha tirado, no computador, e eventualmente editava alguma quando ouve o telefone de sua casa tocar. Ela atende.

Rebeca: Pois não?

Carlos: Rebeca, é o Carlos. Bem-vinda a uma cilada Andrade. A mamãe tá organizando uma festa para a Vitória esse fim de semana. Você está oficialmente convidada.

Sara assistia à TV e ouve o telefone de casa. Gabriel surge com ele na mão dizendo que para ela.

Carol: Sara. Tomás está organizando uma festa para a mamãe nesse fim de semana. Fundamental sua presença. Ele quer ajuda para bolar uma surpresa.

Sinopse: Tomás e Vitória sofrem um baque e Júnior, uma decepção. Sara e Carlos avançam alguns passos em seus relacionamentos, enquanto Carol se vê presa e sem saída com uma de suas cunhadas. A Quatro Estações está cada vez em uma situação pior e Vera decide tomar uma atitude. Uma festa tripla agita a vida dos Andrades.

Sneak 1

Carol tinha acabado de chegar em casa.

Carol: Roberto? Larissa? – chama assim que cruza a porta – Roberto? – chama um pouco mais alto.

Roberto: Tô tomando banho! – grita – Larissa vai dormir hoje na casa de uma amiga – informa colocando o rosto para fora do box – Não quer se juntar a mim aqui? – convida, sedutor.

Carol se joga no sofá, tirando e arremessando seus sapatos longe.

Carol: Daqui a pouco – responde com preguiça.

Roberto: Vem logo, se não vou te buscar!

Carol: Então vem – desafia-o.

Roberto sai do chuveiro, pega uma toalha e enrola na cintura, indo em direção a sala. Nesse instante a campainha toca. Carol levanta-se, inocentemente, para atender à porta. Ao abrir dá de cara com uma mulher e um rapaz.

Carol: Olá? – estranha.

Renata: Oi, quem é você?

Carol: Quem é você?

Para ler o episódio, clique aqui.

Para baixar o .pdf, clique aqui.

Familia: s.f. O pai, a mãe e os filhos: família numerosa. // Todas as pessoas do mesmo sangue, como filhos, irmãos, sobrinhos etc. // Grupo de seres ou coisas que apresentam características comuns.

Essa é  a definição de família segundo o dicionário Aurélio. Mas para os Andrades, essa definição já está ultrapassada. E digo que para mim, mais uma vez foi comprovada que família são as pessoas que escolhemos para estar perto da gente. Acho apropriado usar meu primeiro episódio depois da semana em Fortaleza para agradecer Sam e Ed pelas risadas, brincadeiras, piadas e lembranças memoráveis.

O que essa apresentação tem a ver com o episódio? Nada e ao mesmo tempo, tudo. Nunca é tarde para reafirmar os laços familiares, ou perceber que família vai além de um simples DNA. Sem mais delongas, depois desse momento piegas, eis o décimo quarto episódio da temporada.

Poliana Andrade

Sinopse: Carol começa a receber conhecimento pelo seu trabalho fora do jornal. Sara começa seu relacionamento com Marcelo. Carlos e Diego chegam a um impasse. Tomás e Vitória estão cada vez mais envolvidos com o processo de adoção. Os Andrades recebem a visita da tia Maíra, irmã de Guilherme, que está na cidade de visita.

Sneak Peek #01

Carol digitava metodicamente as teclas de seu computador quando o telefone toca. Estava tão concentrada que não olhou quem ligava. Animou-se quando ouviu a voz de Frank do outro lado.

Frank: Carolzinha, como vai?

Carol: Tudo bem. Mas por que está me ligando a essa hora?

Frank: É sobre negócios.

Carol: Nossa, que sério. O que foi?

Frank: Eu fiz uma coisa antes de falar com você, mas só pensando em você.

Carol: Deixa de enrolar e fala logo.

Frank: Eu enviei sua reportagem sobre a ditadura para a Soraia.

Carol: Soraia? Editora da revista Múltipla?

Frank: Sim, ela mesma. Sabe que eles sempre gostam de grandes reportagens como a sua, e Carolzinha, meu amor, você arrasou. Merece que seja publicada.

Carol: Você deveria ter me contado antes, mas como meu antigo editor, confio quando diz o que diz.

Frank: Ela disse que entrava em contato. Pode esperar a ligação dela.

Os dois conversaram mais alguns minutos antes de encerrarem a ligação. Ela com um sorriso confiante nos lábios.

Sneak Peek #02

Júnior chegou ao local de ensaio o mais rápido que pôde. Ele teve uma reunião no NA da cidade. Ele precisava conversar com outras pessoas que passavam pelo mesmo problema para manter-se são. Quando chegou ao hotel viu o recado sobre a mudança de horário do ensaio.

Júnior: Galera foi mal. Assim que eu vi o recado, eu vim correndo.

Yuri: Caramba Júnior! Nosso show mais importante e você perde o ensaio? Onde você estava?

Júnior: Eu tinha uma reunião no NA. Não podia perder.

Yuri: Não podia perder? O que você não podia era perder o ensaio.

Mike: A gente combinou de praticar novos acordes.

Júnior: Você podem me passar tudo que decidiram. Eu sigo vocês.

Yuri: É bom mesmo, qualquer erro a culpa será sua. Só que precisa decidir o que é mais importante pra você, a música ou essas reuniõezinhas.

Sneak Peek #03

Saulo procurava um documento importante no meio das coisas de Vera. Era o balanço dos dois meses anteriores. Quando ele levanta um arquivo, um pedaço de papel cai, ele alcança para colocar novamente no meio do arquivo quando vê um nome desconhecido e o número de telefone.

Vera: Saulo encontrou o que procurava?

Saulo: Não, mas encontrei outra coisa.

Vera: O quê? – ela pergunta chegando à sala com os dois copos com suco.

Saulo: Quem é Davi e por que você tem o número de telefone dele?

Vera: Não vai dizer que está com ciúmes? – ela brinca, mas vendo a cara séria de Saulo, resolve parar. – Ele é só um possível cliente.

Saulo: E por que eu não soube disso?

Vera: Porque eu não queria levantar suas esperanças e não dar certo no final. Mas se quiser, liga e fala com ele. Não tem problema nenhum.

Saulo: Sabe que não gosto de segredos.

Vera: Desculpe-me, não pensei que ficaria chateado. – ela procurou o documento que Saulo queria e entregou a ele.

Saulo: Venha que vou te mostrar como estão nossas finanças.

Vera: Já vou. É só organizar essa confusão. – ela se abaixa e coloca o número Davi no bolso da calça.